Educação vem mesmo do berço

E quanto a isso não podemos negar que são os pais os responsáveis pela educação que nos formou e formará para o resto de nossas vidas. Por qual motivo digo isso? Simples: hoje, à noite, um garoto de uns seis anos que tomou o ônibus com sua mãe, que estava com uma menina de meses no colo, teve um lugar cedido para que pudesse se sentar.

IMAGEM: © Owen Franken/CORBIS

IMAGEM: © Owen Franken/CORBIS

Ele, o menino, carregava o carrinho de bebê – de sua irmã – dobrado, de modo que ficasse do tamanho exato para ser transportado sem problema.

O menino, que descobri se chamar Gabriel, me pareceu bastante esperto. Tanto ele quanto sua mãe tinham um ar humilde. Porém, a nobreza do gesto não está no que aparentamos, mas no que somos o que trazemos no coração e na alma.

Tão logo a mãe se sentou, tendo ao colo a criança a mastigar algo que parecia um pedaço de doce, babando-se toda mas feliz da vida, o garoto teve sua atenção chamada por um rapaz que disse para ele sentar no banco que estava vazio. Todos nós estávamos no fundo do ônibus que não estava lotado, mas os lugares vagos eram poucos. O garoto disse que não sentaria, pois iria pagar a passagem com a seguinte frase: “Vou lá na frente dar o dinheiro para a trocadora”. E seguiu se esquivando entre as pessoas que estavam de pé. Ninguém se sentou no banco que estava vago.

Ao voltar, novamente foi convidado a sentar e recusou: “Criança é pra ficar em pé”, disse o menino. As pessoas, que já prestaram atenção a ele quando disse que pagaria a passagem, olharam quase ao mesmo tempo para ele. A mãe disse para se sentar: Ele recusou com uma certa veemência, mas mesmo assim obedeceu sua mãe. O rapaz que o convidara a sentar, ainda disse: “Pode sentar o lugar está vago e não tem essa de criança não pode sentar. Se está vazio você pode sentar”.

O mais interessante é que a cada pessoa que se aproximava e, logicamente, não sabia o que acontecera um pouco antes, ele dizia: “Quer sentar?”. As pessoas que presenciaram e presenciavam esperavam para ver a reação do adulto que estava de pé. Todos agradeciam e o faziam com um sorriso. Parecia, então, que as outras pessoas, mesmo sem dizer uma palavra sequer, admiravam a atitude do Gabriel. Certamente, pensavam o mesmo que eu: educação vem de berço.

Quando estava chegando perto do ponto em que desceriam, o menino arrematou: “Moça, pode sentar que a gente já vai descer”.

Tenho certeza que todos desejaram bater palmas para o guri. Não o fizemos. Entretanto, todos que estavam naquela parte do ônibus, guardaram em suas memórias a atitude desse menino, o Gabriel. Devemos, sim, dar parabéns à sua mãe por ensinar-lhe a ser educado.

Anúncios

3 comentários sobre “Educação vem mesmo do berço

  1. Muito legal isso. Quisera encontrarmos alguns “Gabrieis” todos os dias. O Brasil teria a chance de ser a pátria que desejamos.

    Parabéns pelo blog!

    Abs, Edgar

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s