A dor consome quem abandona

Um dia você voltará a ser lembrança,
Com a mesma importância,
Que o resgate dos anos não traz,
Ainda que mantendo a constante inconstância.

Um dia você quis voltar a ser aquela presença,
Mas, hoje, é mãe e mulher,
que em seu ventre não quis perpetrar minha herança.
Assim você quis e a vida quer.

Um dia você pediu desculpas por ser covarde.
Essa memória em sua mente ainda queima e arde,
Sem saber que a cada palavra dita ou escrita,
Em seu coração uma incerteza te deixa aflita.

Um dia, quem sabe, num futuro incerto,
Você conclua que o preferível seria o que não era o certo.
E com o corpo alquebrado, tentando mantê-lo ereto,
Você admita em concretas palavras: a ele, dei o deserto.

Um dia, quem sabe, tendo os pés fincados ao chão,
Ponha uma das mãos no coração,
(um tanto dolorido)
E diga a si mesma e apenas para seus ouvidos:
Aquilo não foi uma mera paixão.

Um dia, ao ver seus filhos e netos,
Talvez pense: será que fiz o que era correto?
E neste dia, ao ver a vida passar,
E o balanço da mesma contabilizar,
Só você o saberá.

(J.A – 2009)

Anúncios

5 comentários sobre “A dor consome quem abandona

  1. Eu adorei esse post..vc nem sabe o significado que tem pra mim ler esse texto…

    bjsss

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s