Milton Santos, um brasileiro universal

O Brasil é um país interessante mesmo. O que pouca gente sabe é que sempre tivemos intelectuais da mais alta estirpe que pensaram o Brasil de uma forma exclusiva para o Brasil e não de uma forma para atender este ou aquele modelo político, econômico e social. Posso citar Gilberto Freire, Caio Prado Jr., Sergio Buarque de Hollanda, Celso Furtado, Paulo Freire, Darcy Ribeiro, Anísio Teixeira e, aquele que gostaria de apresentar agora, o geógrafo Milton Santos, homem cuja história de vida é bem um retrato do Brasil.

miltonsantos01 Neto de escravos, filho de professores, que se tornou Doutor Honoris Causa em 20 Universidades espalhadas pelo mundo. Recebeu o prêmio Vautrin Lud, que é como um Nobel de Geografia. Formou-se em direito. Foi jornalista. Autor de 40 livros.

Eu não sou militante de coisa nenhuma, exceto idéias

Não me estenderei, mesmo porque, você poderá encontrar todo material sobre ele na página Geografia & Poesia, que foi criada em sua homenagem.

Digo apenas para que você, que quer conhecer o Brasil e também saber o que é o mundo da atualidade, não pode deixar de assistir a um documentário, em 9 partes com cerca de 10 minutos cada uma; sobre ele, sua obra, seu pensamento e a sua visão sobre a Globalização.

Milton Santos nasceu em 1926 e morreu em 2001, poucos meses após a gravação dessa entrevista/documentário.

É uma aula de Geografia, História, Economia, Relações Internacionais, Antropologia, Etnografia, Sociologia e de vida. Além disso, mesmo que você não imagine, o poder da mídia é analisado. Vale a pena mesmo.

A narração ficou a cargo de Milton Gonçalves, Fernando Montenegro, Beth Goulart, Matheus Nachtergale e Osmar prado, que emprestaram seus talentos para este documentário de Silvio Tendler.

O nosso país é capaz de ter uma das mais ricas burguesias do planeta e, ao mesmo tempo, conservar bolsões de miséria na periferia dos grandes centros urbanos. Além disso, é uma das maiores misturas étnicas, se não a maior, de todo planeta devido ao processo de Conquista e Colonização que produziu um povo que vai do mais europeu ao negro africano, passando pelo nativo. Todos misturados em função de uma única coisa: a colonização empreendida e os benefícios econômicos que eram aferidos à metrópole portuguesa.

Durante séculos não nos víamos como uma sociedade capaz de produzir intelectuais e pensadores de nível internacional. Sempre nos imaginamos como cidadãos de segunda classe que deveriam prover e sustentar a riqueza de nossa burguesia, na maioria das vezes periférica em relação ao centros econômicos da Europa e América do Norte.

E desse povo surgiram pessoas que se destacaram em todas as áreas. Temos cientistas como Carlos Chagas e Oswaldo Cruz, por exemplo. Músicos como Villa-Lobos, Pixinguinha e Tom Jobim. Escritores como Machado de Assis – sendo, agora, descoberto pelo mundo –, e até mesmo, o Paulo Coelho que é sucesso comercial. Alguns heróis inventados como Tiradentes e outros vindos do povo como João Candido, o líder da Revolta da Chibata.

* O vídeos se encontram no Youtube, no canal lucask8nunes, a quem agradeço por disponibilizar esse material. Você poderá encontrar outros vários documentários.

Anúncios

Um comentário sobre “Milton Santos, um brasileiro universal

  1. Boa tarde Senador Cristovam,
    Segue abaixo meu comentário a respeito da Carta do DNIT em relação à BR 020, a qual Vossa Excelência fez um requerimento ao Ministro dos Transportes sobre a situação da mesma. Reitero também ao senhor meus préstimos solidários à sua cobrança e peço-lhe que não desista. Continue monitorando o assunto em questão e informando a população. Para tal sugiro que o faça através do site O Negro no Brasil Atual (1980), o qual tem atualmente uma repercussão mundial. Parabéns por ser mais um de nossos integrantes e aliado neste resgate da dignidade humana.
    À Presidência da República, aos Ministérios do Governo Brasileiro e ao DNIT.
    Senhores,
    Reitero aqui todos os comentários já redigidos, como tenho também a certeza de que os próximos que o sejam, estarão todos indignados com a atual situação em que se encontra esta região de nosso amado País. Aqueles que porventura assim não o procederem, peço-lhes minhas humildes desculpas, mas estão completa e irremediavelmente captulados diante de seu estado altamente confortável, como aliás já nos foi dito e comprovado pelo Ilustríssimo Professor Milton Santos. Na verdade ocorre esta situação de desamparo e descaso do Poder Público para com os moradores desta região, devido ao simples fato de que os mesmos são de maioria negra, humildes e descendentes dos escravos e índios que os precederam. Somente por este fato é inaceitável que tal ato ocorra, pois, determina nossa Carta Magna que os desfavorecidos em nosso País sejam devidadmente cuidados pelo Governo e compensados pela Sociedade, pelos abusos criminosos praticados em toda a sua história, nas ações governistas e atitudes de descaso da mesma. Desta forma, a carta do DNIT explicando o inexplicável, não coaduna com o que deverá ser feito, ou seja, cumprindo com a gestão de forma sistêmica de governar. Façam a estrada BR 020 e não se justifiquem mais.
    Guilherme D’Avila.
    E-mail: ghgdavila@hotmail.com

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s