Chocolate! Eu só quero chocolate!

Não tem jeito mesmo. O danado do chocolate é viciante e não há ser vivente que não tenha ficado igual a cachorrinho do Pavlov quando viu uma foto ou uma barra de chocolate ao vivo e em cores. Não é raridade. Você pode comprar em qualquer birosca de esquina. Não importa se é Suíço ou se é de fabricação caseira… “não adianta vir com guaraná pra mim”, já dizia o bom e velho síndico Tim Maia de doce (ou amarga dependendo do humor do cantor) lembrança, mas que na voz da Marisa Monte também ficou muito mais doce.

Qual é a sua primeira memória gustativa de prazer? Foi o chocolate! “Não quero Coca-Cola, me liguei no chocolate. Só quero chocolate”. Você não deveria ter mais que alguns meses de vida quando alguém, geralmente um tio ou uma tia muito legais, te mostraram esse, que é um dos poucos prazeres que a humanidade inventou. E tudo começou entre os povos pré-colombianos que, ao contrário do que fazemos hoje, tomavam uma bebida fermentada à base de cacau. Uma espécie de cerveja que era não apenas uma bebida cerimonial, mas também aquela coisa que os antropólogos conceituam como lubrificante social, aquilo que faz as classes sociais esqueceram os degraus em que estão postadas e comemoram a vida.

Os pesquisadores calculam que o hábito (eufemismo para vício) do chocolate surgiu por volta do século 12 da nossa era. Em escavações feitas em vaso mayaHonduras foram encontradas peças de cerâmica ricamente adornadas e finas que imaginam terem servido como recipiente para essa bebida feita de cacau em rituais religiosos. O nome vem de xocoatl, uma palavra em nahuatl, a língua falada pelos maias, que diziam ser, a bebida, amarga mas que temperada com baunilha e mel teria propriedades revigorantes. Ainda no campo da etimologia, a palavra também tem uma conotação social, isto é, segundo estudiosos dessa língua, o verbo chokola’j, tem o significado de “beber chocolate junto com alguém”.

Realmente há chocolates que devem ser saboreados orando aos deuses por essas dádivas. E, se você não sabe, o nome científico do cacau é theobroma cacau. O curioso da história é que a palavra theobroma significa alimento dos deuses. Está mais do que explicado.

Literatura sobre o assunto é o que não falta e seria impossível listar todos os livros sobre o chocolate, porém, se você o quiser fazer eu digo que deve começar pelos históricos, depois passando pelos antropológicos, sociológicos. Não se pode descartar os de fotografia para você ficar salivando ao ver as imagens e, os de culinária. Claro, pois todos nós adoramos um bolo de chocolate, não? Quem não gosta só pode ser ruim da cabeça ou doente do pé.

Em minhas pesquisas até encontrei um excerto de uma dissertação, em inglês, cujo título, ao ser traduzido seria assim: O Império da Degustação: o chocolate e a internacionalização da estética mesoamericana. Os gringos levam o negócio a sério mesmo, tanto que o texto é recheado com citações de Pierre Bourdieu. A primeira, que não é do Bourdieu, diz assim:

Quando os espanhóis e portugueses chegaram as Américas, os habitantes desta região faziam um licor de cacau, que era diluída em água quente e temperada com pimenta e outras especiarias… todos esses ingredientes deram a essa mistura uma brutal qualidade e um sabor selvagem… O espanhol, mais observador, acrescentou outras fragrâncias originárias do Oriente e também espanholas para “domar” o sabor . De todos os ingredientes, temos mantido apenas o açúcar, a baunilha e a canela.

Quem quiser ir mais a fundo no texto, basta clicar aqui.

Anúncios

4 comentários sobre “Chocolate! Eu só quero chocolate!

  1. Chocolate: Adoro! Meu estômago já nem tanto!

    Se passo da medida ele logo reclama.

    Estou aprendendo a comer sem remoço. Abs.

    Curtir

  2. Há quem diga que esta música do Tim Maia é uma referência velada as drogas (tão consumidas por ele). Veja:
    Chocolate = Maconha
    Chá e Café = Cafeína
    Coca-Cola = Cocaína
    Garaná = Estimulantes em geral
    “Me liguei no Chocolate” = Fiquei chapado de maconha

    A seguir a letra completa. Faça as substituições e você vai ver que há fundamento nesta “teoria da conspiração”:

    Chocolate! Chocolate! Chocolate!
    Eu só quero chocolate
    Só quero chocolate
    Não adianta vir com guaraná
    Prá mim é chocolate
    O que eu quero beber…(2x)

    Não quero chá
    Não quero café
    Não quero coca-cola
    Me liguei no chocolate
    Só quero chocolate
    Não adianta vir com guaraná
    Prá mim é chocolate
    Que eu quero beber…

    Chocolate! Chocolate! Chocolate!

    Chocolate! Chocolate! Chocolate!
    Eu só quero chocolate
    Só quero chocolate
    Não adianta vir com guaraná
    Prá mim é chocolate
    O que eu quero beber…(2x)

    Não quero chá
    Não quero café
    Não quero coca-cola
    Me liguei no chocolate
    Eu me liguei!
    Só quero chocolate
    Não adianta vir com guaraná
    Prá mim é chocolate
    O que eu quero beber…

    Chocolate! Chocolate! Chocolate!

    -O Senhor aceita um cafezinho?
    -Não! Eu quero chocolate!

    Curtir

  3. Certamente, Ulisses. Este não é o caso apenas do Tim Maia e esta música em que metáforas são utilizadas para falar sobre drogas. Voltando um pouco, podemos citar o caso de Cole Porter e a música I’ve got you under my skin, que, segundo alguns é uma alusão à drogas injetáveis. Por outro lado, o Rock and Roll (uma alusão ao ato sexual), tem diversas músicas que podem ser lidas também com as tais metáforas. Dê uma lida no artigo Não foi só Raul Seixas que viu disco voador, que escrevi há alguns meses.

    Excelente comentário. Abraços.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s