Ditaduras que sequestravam crianças

Acabo de ler um artigo que fala sobre um dos crimes mais hediondos que podem ser cometidos por um governo, não importando se é de direita ou de esquerda, o sequestro de crianças para serem doutrinadas. O fato, por mais estranho que pareça, é um tanto corriqueiro. Na vizinha Argentina aconteceu aos montes, tanto que as mães da Praça de Maio, até hoje, décadas após o fim da ditadura militar portenha, ainda reivindicam não apenas os corpos de seus filhos torturados e mortos, mas o paradeiro de seus netos.

Fiesta infantil cárcel S. Antón (Madrid) recibir reclusos visita hijos, 5 nov 39  Perceba como as crianças eram doutrinadas vendo esta foto que está no blog Todos Los Rostros, que retrata uma festa num orfanato, em 1939.

As atitudes que todas as ditaduras tomam são muito estranhas. É um tanto inconcebível que as pessoas sejam condenadas por pensarem de forma diferente daquelas que são ditadas pelos tiranos.

O caso mais gritante, entretanto, se é que casos como esses não sejam pavorosos, refere-se ao sequestro de crianças, filhas de pais esquerdistas ou supostamente de esquerda, pela ditadura do Generalíssimo Franco.

A figura desse ditador era tão ameaçadora que até Hitler declarou nunca mais querer encontrá-lo e disse que não daria as costas para esse facínora. É possível perceber, então, que, se até o próprio mentor tinha medo, imagine o que sofreram os espanhóis durante as várias décadas de seu governo ditatorial.

Hoje, um senhor de quase 80 anos, diz que ainda tem medo de sua infância. O (s) trauma (as) que sofreu quando da instalação desse governo desgraçado. O objetivo do governo franquista era a doutrinação de crianças que nasceram em "berço" esquerdista, a partir dos ideais ultra conservadores do catolicismo e do fascismo – não é à toa que a Espanha foi a terra do maior inquisidor de todos os tempos, Tomás de Torquemada.

O depoimento de Ushenu Ablana é comovente. Ele mostra fotos e conta que lhe disseram, após ser sequestrado, que sua mãe morrera no parto; mas, Guernica by Pablo Picasso © Burstein Collection/CORBIStempos depois, soube que ela fora torturada até a morte por asseclas do fascismo espanhol, o mesmo fascismos que não se abalou ao solicitar ajuda da Luftwaffe para bombardear as cidades e regiões que lutavam pela democracia durante a Guerra Civil Espanhola. Picasso retratou essa abominável passagem no famoso painel chamado Guernica – assista a um vídeo que analisa o quadro em 3D , a cidade que desapareceu após a passagem da Força Aérea Alemã, em 1937, quando se diz que foi um ensaio para a invasão da Polônia três anos depois e que deflagrou a Segunda Grande Guerra. Além desse trauma inicial, Ablana foi jogado de orfanato em orfanato e também passou fome, foi abusado sexualmente e doutrinado por sacerdotes católicos. “Eles me arruinaram. Eles roubaram a minha juventude”.

O problema, que só agora foi remexido pelos historiadores espanhóis, tem causado um certo desconforto e também a ideia de resgate, visto a população e a própria Espanha terem tentado “esquecer” essa passagem de sua história como forma de expurgar mais uma culpa de sua alma como sociedade. Quando da vitória dos franquistas, milhares de crianças foram sequestradas e outras milhares de pessoas foram mortas e jogadas em valas, como o poeta Federico Garcia-Lorca, para nunca mais terem seus corpos descobertos; além de, os sobreviventes, irem para campos de trabalhos forçados.

A sandice foi tamanha que um pseudopsiquiatra, a soldo do Estado ditatorial, afirmou a seguinte asneira: “As mulheres são politicamente ativas e, por definição, moralmente degeneradas. Sendo assim, não deveriam ser autorizadas a criar seus filhos”. Tudo isso por que achavam que as mulheres espanholas estavam quebrando os alicerces da vida doméstica, não observando os tradicionais papéis reservados a elas na sociedade.

Veja também:

Todos Los Rostros – Mantém viva a memória de pessoas que foram perseguidas, torturadas e mortas pelo franquismo. Leia depoimentos, veja slides, fotos das crianças sequestradas e tome conhecimento de um excelente acervo sobre o assunto.

________________________
* A foto Fiesta infantil cárcel S. Antón (Madrid) recibir reclusos visita hijos, 5 nov 39, que ilustra este artigo, está no blog Todos Los Rostros.

** Este artigo foi escrito a partir da livre tradução feita por mim, do texto Thousands of Childrens Stolen During Franco Rule, de Jerome Socolovsky.

Anúncios

7 comentários sobre “Ditaduras que sequestravam crianças

  1. E pensar que essas pessoas estavam achando estar fazendo o melhor para o todo… Parece tolo, mas me lembrei de Guerra nas estrela, da série nova, quando o Anakin Skywalker é perguntado se ele acreditava em comandar de forma ditatorial e ele responde que quando as pessoas não sabem o que é melhor para elas, ele, que sabia, tinha o dever de assumir este papel de ditador.

    Como o poder se confunde com altruísmo, numa mente perturbada!

    Curtir

  2. Olá Jorge,

    “Tudo isso por que achavam que as mulheres espanholas estavam quebrando os alicerces da vida doméstica, não observando os tradicionais papéis reservados a elas na sociedade.” – Jorge, em Espanha, as mulheres sofreram por demais. Para veres que até 1978 elas não podiam tirar carta de condução (nem passaporte) sem autorização do pai, ou do marido ou de um irmão (tinhas é de ser de um homem) – absurdo! Até recentemente a violência doméstica não era crime público (elas poderiam apanhar que não fazia mal, aos olhos da lei). Mas também te digo uma coisa: a Espanha recuperou muito depressa destes traumas, pois as mulheres hoje ocupam cargos mais altos que as mulheres Portuguesas.

    Sou contra lavagem cerebral: e isto era o que tanto os fascistas como os comunistas faziam aos miúdos. O meu tio (em Moçambique, após a independência – sistema comunista chamado Frelimismo) foi recrutado para ir para os campos onde iria ser re-educado (tás a ver o que isto significava, não é?)…mas a minha avó lá conseguiu impedir este crime.

    Na era de Salazar, em Portugal, também aconteciam poucas e boas: a Mocidade Portuguesa (a tropa-mirim Fascista) fazia denúncias (principalmente contra os amigos dos pais que fossem de esquerda); a PIDE (a polícia secreta) que prendia toda a gente que fosse contra o regime…e otras cositas más…

    No Chile, na Argentina…na Rússia (não nos esqueçamos desses)…enfim, regimes totalitários cometem crimes contra a humanidade (desde homicídio a abusos sexuais, tortura etc – uma vergonha) e muitos dos agentes secretos que cometiam estes crimes andam por aí…impunes.

    Muito bom artigo!

    Curtir

  3. Nossa!
    Fiquei comovida e horrorizada ao mesmo tempo.
    Incrivel acreditar que tais coisas aconteceram,
    e convenhamos, de uma certa forma,
    ainda acontece né mesmo:?
    Parabéns querido amigo,
    vc sempre surpreendendo com seus belos textos.
    Carinho de RO!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s