Nós, os poetas erramos, porque rimamos também…

E foi com essas palavras que Lamartine Babo (ou Lalá), um dos maiores compositores da música popular brasileira tentou descrever sua frustração por saber que a troca de correspondências com Nair, que supostamente estava apaixonada por ele, que era muito feio e sem sorte no amor, se tratava de uma criança, a sobrinha de um dentista morador da cidade de Dores da Boa Esperança (MG). O dentista era o verdadeiro missivista que fez uma grande brincadeira com o compositor.

lamartine_babo

Em 1981, a Imperatriz Leopoldinense, foi campeã do carnaval com o enredo “O Teu Cabelo Não Nega”, em homenagem a Lamartine Babo (1904-1963). Ouça o samba-enredo campeão.

Parece que a história de Lamartine Babo é triste, não? Pelo contrário. Ele foi um dos mais irreverentes e satíricos compositores. Autor de clássicos como “O teu cabelo não nega” e a sensacional “Canção para inglês ver”, que é foneticamente correta, mas hilariamente debochada; debochando da mania, acredite, até hoje, de nós macaquearmos os gringos.

Assista a esse jazz-blues-fox-trotte-samba-canção

Ai loviu forguétiscleine meini itapirú
forguetifaive anda u dai xeu no bonde Silva Manuel
ai loviu tchu revi istiven via catchumbai
independence la do Paraguai estudibeiquer Jaceguai
ou ies mai gless salada de alface flay tox mail til
oh istende oiu ou ié forguet not mi
ai Jesus abacaxi uisqui of xuxu
malacacheta independancin dei
istrit flexi me estrepei
delícias de inhame reclaime de andaime
mon Paris jet’aime sorvete de creme
ou ies mai veri gudi naiti
dubli faiti isso parece uma canção do oeste
coisas horríveis lá do faroeste do Tomas Veiga com manteiga
mai sanduíche eu nunca fui Paulo Iscrish
meu nome é Laski Enen Claudi Jony Felipe Canal
laiti endepauer companhia limitada
aiu Zé Boi Iscoti avequi Boi Zebu
Lawrence Olivier com feijão tchu tchu
trem de cozinha não é trem azul

As torcidas dos grandes clubes de futebol do Rio de Janeiro cantam os hinos criados por ele, em 1949. Dizem que o do América, seu clube de coração é o mais bonito. Até pode ser, mas nada se compara a você, como no caso deste vosso escriba, estar nas arquibancadas do Maracanã ou do Engenhão e perceber seus olhos marejarem ao entoar… “BOTAFOGO! BOTAFOGO! Campeão desde 1910”. Como a democracia é parte da vida, abro espaço para que as outras torcidas se reconheçam ao visitarem o blog NA CAL, em que estão as versões em mp3 dos hinos.

Você pode ouvir um podcast do programa Olhar Brasileiro, da Rádio USPFM, sobre o Lalá.

lamartine_babo

Lamartine era tão irreverente que, em 1960, quando o América levantou seu último campeonato carioca, ele se vestiu de Diabo, o símbolo do clube da Tijuca, e saiu pelas ruas do Rio de Janeiro numa carreata.

A sua verve também o fazia criar composições como “No Rancho Fundo” com outros grandes da MPB, como Ary Barroso. A música foi regravada e “assassinada” por aquela dupla de breganejo. Assista a uma versão muito bacana no Youtube com César Camargo Mariano e Romero Lubambo.

No rancho fundo, bem pra lá do fim do mundo
Onde a dor e a saudade contam coisas da cidade
No rancho fundo, de olhar triste e profundo
Um moreno conta as mágoas tendo os olhos rasos d’água
Pobre moreno, que de tarde no sereno
Espera a lua no terreiro tendo o cigarro por companheiro
Sem um aceno ele pega da viola
E a lua por esmola vem pro quintal deste moreno
No rancho fundo, bem pra lá do fim do mundo
Nunca mais houve alegria nem de noite nem de dia
Os arvoredos já não contam mais segredos
E a última palmeira já morreu na cordilheira
Os passarinhos internaram-se nos ninhos
De tão triste esta tristeza enche de trevas a natureza
Tudo por que? Só por causa do moreno
Que era grande, hoje é pequeno para uma casa de sapê

lala ₢ mpbnet.com.br 

Alguns dos sucessos do Lalá

"O Teu Cabelo Não Nega", "Linda Morena", "Cantores do Rádio" (com João de Barro/ A. Ribeiro), "Marcha do Grande Galo", "A-E-I-O-U" (com Noel Rosa), "Grau Dez" (com Ary Barroso), "Uma Andorinha Não Faz Verão" (com Braguinha), "Canção pra Inglês Ver" (regravada pelas Frenéticas), "Chegou a Hora da Fogueira", "Hino do Carnaval Brasileiro", "História do Brasil", "Isto É Lá com Santo Antônio", "Noites de Junho". Sua produção é vastíssima no gênero em que foi mestre, mas Lalá (como era conhecido) também fez obras-primas no samba, como "No Rancho Fundo" (com Ary Barroso), "Lua Cor de Prata", "Voltei a Cantar", "A Tua Vida É um Segredo", "Serra da Boa Esperança", "Só Dando com uma Pedra Nela", e até valsas, como "Eu Sonhei que Tu Estavas Tão Linda" (com Francisco Mattoso), regravada pelo roqueiro Erasmo Carlos.
(In: http://cliquemusic.uol.com.br/artistas/lamartine-babo.asp)

E, para terminar, mais um verso de Serra da Boa Esperança…

Parto levando saudades, saudades deixando…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s