Documentários: divulgação do conhecimento em sala de aula

Uma das coisas mais bacanas da TV a cabo é você poder ter canais específicos para assistir documentários. Eu, particularmente, gosto muito desse tipo de meio de divulgação do conhecimento, pois acredito que não apenas os livros sejam importantes para divulgar cultura e conhecimento. Também aproveito bastante para que meus alunos possam aprender, já que, muitas vezes, usando o velho chavão, uma imagem vale mais que mil palavras.

© Keystone/Corbis

Por exemplo, se eu for falar sobre o Império Romano, posso dispor de inúmeros documentários, sendo cada um específico para um momento ou fato. Certamente, eu poderia indicar a leitura de “Os 12 Césares”, do Suetônio, mas sou sabedor que a leitura poderá ser enfadonha e, até mesmo em alguns casos, algo que não crie muita motivação para os alunos. Penso que, de forma introdutória, seja mais proveitoso um documentário como, por exemplo, a série “Construindo um império”, que passou – e é repetida várias vezes – no History Channel, sobre o Império Romano e suas construções. A série de documentários não conta apenas a história, mas também é explicada um pouco da psicologia do povo analisado em questão e tudo mais relativo ao seu modus vivendi.

Lista de documentários da série Construindo um império:

Grécia
A Era de Alexandre
Os Persas
Cartago
China
Rússia
Grã-Bretanha, aço e sangue
Napoleão
Os Maias
Os Astecas
Roma (cerca de 110’).
Bizâncio
O Mundo de Da Vinci
Egito

Geralmente, cada episódio tem entre 45 e 50 minutos, o que dá mais ou menos um tempo de aula. O ideal seria utilizar esses documentários em aulas duplas (cerca de 90’).

Penso que o ideal mesmo seja passar o documentário no primeiro tempo – ou primeira aula – e, depois, fazer um debate ou discorrer sobre o assunto no tempo seguinte. Também se faz necessário um roteiro para que os alunos tenham maior embasamento após assistirem o programa. Acho muito chato você parar o programa e explicar isso ou aquilo. O fluxo e acúmulo de informações devem seguir seu curso normal.

É óbvio que você, professor/professora, deverá ver o vídeo com antecedência e, portanto, destacar no roteiro que os alunos seguirão, aquilo que pretende enfatizar. Dá um certo trabalho, mas vale a pena. Se você pretende destacar e fazer com que os alunos realmente prestem atenção, o roteiro deve ser entregue antes. Não precisa ser muito longo, mas deve ser objetivo, informando o que ver e anotar. Se você pretende que eles, alunos, discorram sobre o que assistiram, você deve criar uma ficha de análise. Nada de informações técnicas, mas, sim, os mesmos pontos que você queria destacar no roteiro. Fica a seu critério. Eu, particularmente, prefiro falar um pouco sobre o que eles assistirão e, depois, eles discorrerão sobre o vídeo na ficha de análise.

Ah, sim. Você deve estar se perguntando onde e como conseguir o material, certo? No Orkut há várias comunidades sobre documentários. Eu estou cadastrado em duas, a saber: Documentário/Documentários e Só documentários.

Você também pode conseguir material no Youtube. Por exemplo, há um excelente documentário baseado no livro “Povo Brasileiro”, do Darcy Ribeiro que é apresentado pelo próprio antropólogo. Vale a pena mesmo. Outro dia desses, eu assisti a uma série da BBC, chamada Brasil, Brasil – Samba to Bossa, que é uma imensa aula panorâmica sobre a música brasileira, em seis capítulos. Veja aqui.

Logicamente que eu apresentei apenas uma pequena parte do assunto aqui e você pode – e deve – pesquisar mais. Certamente, encontrará muito material. Também é claro que você encontrará no mercado inúmeros documentários produzidos no Brasil e no exterior.

Você, dependendo do foco de interesse, pode encontrar documentários sobre qualquer assunto imaginável, tanto que sugiro uma visita ao site Documentário.org, que está indicado no final desse artigo, assim como  We Show, um site muito interessante, que  é uma espécie de agregador de vídeos em que você participa de comunidades e pode selecionar assuntos de seu maior interesse. Eu também estou sempre olhando alguma coisa nova por lá. Nesses dias mesmo eu encontrei uma lista dos 10 maiores guitarristas de todos os tempos, com um vídeo para cada.

Dicas:

  • Não faça uso de documentários com mais de um capítulo ou episódio.
  • Não passe documentários com muitas legendas.
  • Documentários, quando produzidos em outras línguas, devem ser dublados.
  • Os documentários devem ter no máximo o tempo de uma aula.
  • Use datashow ou se a escola dispor, sala de vídeo, ou qualquer multimeio compatível.
  • Como é uma atividade que é quase extraclasse, os alunos devem ser recompensados. Quem assiste recebe um bônus na nota, por exemplo. Também pode usar o famigerado “vai valer nota”.
  • Combine com outros professores de outras matérias uma aula em comum, para que você possa enriquecer as aulas usando a tal da interdisciplinaridade.

Leia os artigos:

Blogs e sites:

Anúncios

5 comentários sobre “Documentários: divulgação do conhecimento em sala de aula

  1. Certamente é uma ótima ferramenta para o professor. Muitas vezes eu assisto estes programas são muito bons. Além do History Channel, vale a pena conferir o discovery e o National Geographic.
    Abraço,

    Curtir

  2. Jorge, eu adoro documentários porque é uma ótima forma de mostrar a história bem ilustrada. Assisti recentemente um sobre as obras que o hitler desenvolveu na “Germania”.

    Curtir

  3. ola pessoal, será que alguem me poderia me dar uma dica de como posso encontrar o novo filme do Oliver Stone “South of the Border”

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s