O Design da Guerra Fria, uma exposição

Clique sobre a imagem para visitar a exposição Mostra dos gadgets, mobiliário e design interior que definiram uma época de grande tensão política internacional, que você pode apreciar diretamente no site do Victoria & Albert Museum, em Londres, que vai até 11 de janeiro de 2009. Clique sobre a imagem.

Não deixe de acompanhar a linha de tempo que cobre o período entre 1945 e 1970, contendo quatro linhas horizontais, cada um sobre um ou mais assuntos, divididos em Design, Art/Film, Architecture e Politics . Clique sobre as bolinhas amarelas e cada uma delas mostrará informações sobre o objeto em um menu.

Outra coisa interessante é clicar sobre o link View in Google Map. Você será levado ao mapa mundi com indicações sobre fatos históricos relevantes do período como, por exemplo, o local de lançamento do Sputnik. Se você passar o ponteiro do mouse no ícone de uma lambretinha, no México, em um dos indicadores do mapa, lerá a frase “Venceremos”. Ao clicar aparecerá um pôster do Che Guevara com uma pequena explicação sobre ele.

Todo mundo sabe que a Guerra Fria foi o período, entre 1945 e 1989, em que as duas superpotências militares de então, Estados Unidos e a antiga União Soviética, ameaçavam se engalfinhar e jogar bombas atômicas de “n” megatons uma sobre a cabeça da outra e, por isso mesmo, acabar com essa rocha coberta de água que gira em torno do Sol.

Clique sobre a imagem para ver a exposição
Clique na imagem para ver um vídeo sobre a exposição

Na verdade, quem brigava eram os países satélites ou as ex-colônias africanas e asiáticas; além de, essas mesmas superpotências fomentarem, cada uma por seu lado, o medo de comunistas que comiam criancinhas – está provado que quem come criancinha são os clérigos católicos – e acabar com o domínio da decadência burguesa no mundo. Por isso, na América Latina, entre as décadas de 1950 e 1980, ditaduras floresceram aos borbotões. Aqui, na parte que fica abaixo da linha do Equador, o pavor era que os comunistas assumissem o poder.

Portanto, a espionagem comia solta e vários objetos foram desenhados para facilitar as vidas dos espiões, assim como, toda uma estética e design surgiram, marcando uma época em que poltronas de plástico, coma aquelas do Dr. Evil, viraram moda. Havia também maços de cigarro com câmeras dentro – hoje, qualquer um pode ter um celular com uma câmera de pelo menos 2mp –, carros especialmente desenhados, tanto no Ocidente como no Leste Europeu que, cá pra nós, são bregas pra caramba, em nada se parecendo com os Aston Martim DB5 do 007, mas que não deixam de ser um registro histórico da indústria automobilística. Além, é claro, os trajes da corrida espacial.

* A imagem do cabeçalho do artigo, editada por mim,  pertence ao Victoria & Albert Museum.

* *A imagem, editada por mim, que ilustra este artigo, pertence ao jornal The Guardian.

Anúncios

3 comentários sobre “O Design da Guerra Fria, uma exposição

  1. Certamente, Isa. Quanto mais informações tivermos, mais poderemos discernir, a partir de nossas experiências pessoais, aquilo que nos é mais agradável e importante para nosso desenvolvimento e evolução como pessoas.

    Obrigado pela visita.
    bjs.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s