Um guia literário mundial

A idéia desse guia literário que difere e também é inovador, pois não se trata de um daqueles tradicionais guias de viagem que trazem dicas de museus, restaurantes e pontos turísticos, foi de Hilary Frey, a editora literária da Salon.com, uma revista virtual, que podemos ter uma idéia de como funciona caso você algum dia tenha acessado o finado no. (no ponto). Portanto, são vários colaboradores escrevendo sobre inúmeros assuntos.

Clique sobre a imagem Clique sobre a imagem para ver o site

Esse guia literário mundial surgiu após Hilary Frey voltar de uma viagem à Índia e imaginou que "não seria interessante que houvesse um guia literário mundial que fale da literatura de cada país, ligando Turquia e Togo, Washingnton e Los Angeles, Rio de Janeiro e Rússia; recomendando os melhores livros de ficção, história, memórias, contos etc, para você se familiarizar com a cultura de cada país, mesmo que nunca venha a visitá-lo e, melhor ainda, caso venha a visitá-lo?". Assim, o objetivo é oferecer os melhores passeios virtuais ao redor do mundo literário de cada país.

Vários autores e escritores foram convidados a escrever sobre um lugar, apresentando os principais expoentes literários das regiões que mais conheciam, ou por terem vivido, estudarem ou por serem originários de cada uma delas. O grupo inicial de oito escritores foi composto por ganhadores do Pulitzer e autores de Best-Sellers, por exemplo. A promessa é que dois países serão retratados a cada semana. Um trabalho de fôlego, não?

Antes de escrever esse artigo, obviamente, eu fui ler o que escreveram sobre o Brasil. O autor do artigo Destination: Brazil – After Carnival, soccer and samba, go deeper into this South American nation via its seductive novels and gritty true-life stories, Anderson Teppes, que passou algum tempo no Brasil na década de 1980, acerta na maioria das vezes, mas também comete uns erros que podemos considerar normais. Porém, não passa despercebido o fato de omitir Guimarães Rosa, como escreveu um leitor, o mesmo que agradeceu por não incluir Paulo Coelho.

São citados e analisados brevemente, mas com certa profundidade Caetano Veloso, Chico Buarque, Clarice Lispector, Jorge Amado, Paulo Lins e Machado de Assis, a quem presta reverência e podemos perceber que o sucesso do Bruxo do Cosme Velho se deve a boas traduções feitas. Além disso, o livro de Machado que mais faz sucesso entre os leitores de língua inglesa é Memórias Póstumas de Brás Cubas, que numa primeira tradução recebeu o título "Epitaph of a Small Winner".

Se você manja um tiquinho de inglês, vai poder apreciar este site em sua completa variedade.

Uma dica: Não deixe de ler a seção de comentários desse artigo sobre a literatura brasileira. O autor leva um puxão de orelhas de uma brasileira, pois ele cometeu alguns erros e ela termina o recado com um agradecimento por ele ter usado o til quando escreveu "São Paolo", mas grafou o nome do santo que dá nome à cidade em italiano.

Anúncios

Um comentário sobre “Um guia literário mundial

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s