Você se considera cinéfilo? Amarcord… eu me recordo

Se você se considera cinéfilo e não viu Amarcord, corra até a locadora e pegue o DVD. Veja tantas vezes que achar necessárias. Aí sim você poderá se considerar um verdadeiro cinéfilo.

Primeiro, clique aqui para ouvir o belíssimo tema musical composto por Nino Rota, parceiro gênio-musical de Fellini em vários de seus filmes. Abrirá uma nova janela e você poderá continuar a ler o artigo.

Uma das coisas mais bacanas do cinema é que nele podemos ver partes de nossas vidas. Não estou dizendo que as pessoas queiram sair por aí vestidas de morcego quando não é Carnaval, mas esta é uma fantasia que vai nos recônditos da mente humana quando se busca um ideal de justiça e honra. Não é à toa que os super-heróis usam capas e elmos. O ideal medieval ainda persiste no inconsciente coletivo e isso é inegável.

Ao mesmo tempo, temos vários tipos de cinema, de formas de mostrar ou contar uma história. Uma das minhas histórias preferidas retratadas em forma de cinema é o filme Amarcord, de Federico Fellini. Pode ser que muitos nem o conheçam ou não o tenham visto. Quero apenas dizer que, em muitos momentos desse filme, especialmente para quem foi criado nos subúrbios do Rio de Janeiro, parece que o diretor retratou aquele momento de nossas vidas.

Apenas para ilustrar e mostrar como as coisas dos povos latinos são características, conto aqui um comentário feito por um casal de amigos que foi estudar na Alemanha. Lá chegando, acharam tudo bacana e certinho. O ônibus passava todos os dias às 13:22′:36″; fizesse Sol, chuva ou nevasse. Nos jardins observados, o ancinho estava no lugar do ancinho, as flores pareciam obedecer a uma ordem e sempre pareciam viçosas, as pessoas falavam baixo e vai por aí. Numa época de férias, foram até a Itália e… Sentiram-se em casa! Pessoas falando alto e usando as mãos para também falar, caos no trânsito, isto é, um certo ar de bagunça organizada, um ar latino e em determinados lugares, disseram que parecia que estavam no subúrbio do Rio de Janeiro em que nasceram.

Não há rua em que não houvesse um doidinho ou doidinha cativos, vizinhos barulhentos, crianças que só pensavam em fazer traquinagens e as famílias caricatas. Esta é a melhor parte, eu diria. Pois a família retratada é totalmente interessante. Há o pai que tem posições políticas bem definidas, o cunhado boa vida, a esposa que se mata de trabalhar para manter a casa e os filhos em ordem, o avô que vive de lembranças e tentando ensinar coisas da vida para os netos.

Peço, portanto, atenção especial a esta jóia do cinema, um clássico universal por ser provinciano.

Links Interessantes:

Filmografia de Federico Fellini
Um blog sobre cinema chamado Amarcord
Filosofix
, que contém um vídeo com a versão para violão clássico do tema de Amarcord.

Anúncios

2 comentários sobre “Você se considera cinéfilo? Amarcord… eu me recordo

  1. Sim

    Sou tarada por cinema.
    Aliás ,qualquer manifestação artística me deixa doida!

    BEIJO lindo!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s