Seu olfato pressente o perigo

nose4_21540_sm Há séculos os chineses inventaram um sismógrafo que previa terremotos com um certo grau de acerto. Entretanto, nunca deixaram de observar as reações dos animais quando estes pressentiam algum perigo iminente. O mesmo se deu quando aquela tsunami varreu Sumatra e deixou centenas de mortos. Isso foi relatado por sobreviventes,  que perceberam  os animais mudarem seus comportamentos, tornando-se arredios e aqueles que viviam livres fugiram procurando pontos elevados do relevo para se protegerem.

Agora, acabo de ler uma nota, no New York Times, sobre a percepção do perigo no ar através do nariz. Segundo a nota, os organismo vivos – mamíferos, plantas e insetos – liberam alarmes de feromônio ao pressentirem alguma situação que envolva perigo. Os mamíferos apresentam uma série de células, numa quase bolota,  na ponta dos narizes, que recebem o nome de Gânglios de Grueneberg, responsável pela percepção de feromônios.

O mais interessante é que Hans Grueneberg, o cientista que descreve essa estrutura em ratinhos, em 1973, estava certo e errado ao mesmo tempo. Ela achava que havia descoberto um novo feixe de terminações nervosas. Mas, na verdade, os gânglios fazem parte do sistema olfativo.

Em agosto de 2008, cientistas da Universidade de Lausanne, na Suíça, comprovaram esse fato ao pesquisarem aqueles ratinhos que foram criados em laboratório e brilham no escuro. Os ratos normais, que não sofreram alterações genéticas, como as que fizeram para que os bichos ficassem verde-fluorescente, percebiam situações de perigo e imediatamente ficavam estáticos, ao contrário dos verdinhos que não estavam nem aí se um gato estivesse por perto e sentissem seu cheiro, por exemplo.

Os feromônios flutuam no ar e são produzidos por cada indivíduo; porém, os pesquisadores ainda não descobriram em que local do corpo estes são produzidos.

Se algum dia você tiver uma sensação estranha e não sabe o que é, e fica achando que é premonição ou alguma coisa esotérica, saiba que certamente  está sentindo cheiro de perigo no ar. Portanto,  faça tudo para ficar longe dele.

Esse artigo foi criado a partir da matéria How the Nose Sniffs Danger in the Air, de Kenneth Chang, para o New York Times Science.

*A imagem do nariz utilizada neste artigo chama-se, A sketch of the human nose, de John H. Vanderpoel The Human Figure (Chicago: The Inland Printer Company, 1915).

** A imagem do ratinho fluorescente está no blog Super Man.

Anúncios

3 comentários sobre “Seu olfato pressente o perigo

  1. Vivendo e aprendendo…
    Caramba, essa historia de feromônios me deixa entre a esperança e o medo. Essa tal bolota pode não estar no meu nariz mas em alguma outra parte do meu corpo. E eu já estou aqui me exercitando na paranóia de procurá-la. Adorei o post! Bjs e inté!
    PS: A propósito, (premonição) você viu a história do casal que morreu nesse último acidente de avião?

    Curtir

  2. Eu não tive a oportunidade de assistir as olimpíadas de Moscou, mas acompanho alguns flash’s…. parece que fooi mto linda!
    E qnto a de Pequim, ela teve as suas belezas e glórias!!
    Abs

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s