Saudade de um Brasil

Saudade de um tempo rural que vivi de forma esporádica, quando se pegava a estrada à noite para amanhecer ao som do campo. Essa memória foi resgatada sem querer, sem pensar e aconteceu.

Cláudio Nucci – Acontecência

Saudade dos causos de assombração contados à luz de lamparinas de querosene, dos sons da noite sem luz. Saudade de ver a Via Láctea em sua plenitude por nem mesmo haver luz elétrica.

Saudade do medo de encontrar bichos peçonhentos nos sapatos quando os calçava pela manhã, que começava ainda antes do alvorecer. Saudade do almoço às dez da manhã. Do banho de rio e dos mitos e lendas das matas.

Na pós-adolescência, faculdade, Projeto Rondon em Glicério, uma cidade do interior do estado, e novamente contato com o campo. Novos sons, descobertas, namorada que hoje é minha esposa, formação.

Serafim e Seus Filhos, do Ruy Mauriti, a música que me fazia cansar o violão

Lembranças dos filhos do Seu Zoroastro, que não batiam muito bem da bola e sempre me pediam para fazer a base, três simples acordes em ritmo de rock, enquanto cantavam… “Estava sentado debaixo de um pé de alface. Me sentia como se fosse uma minhoca”. E o que se fez do Paulinho, artista plástico, ceramista, que dizia ter morado em Paris, mas preferia Glicério? A cidade com uma única rua, que na entrada tinha um armazém de secos e molhados como não deve existir mais, do cruzeiro no alto do morro… Saudades desse tempo… Onde andará Dedéu, a menina que, em sua inocência de criança, dizia que casaria comigo quando fosse grande?

O caminho entre Glicério e Óleo à luz do luar, indo para alguma festa. A cachaça azul clara e a frase da nossa anfitriã: “Vocês nunca comeram ovo de boi?”. Não conseguiram responder. Sentiram engulhos depois de saber o que comeram.

Já adulto relembro que “a novidade é que o Brasil não é só litoral. É muito mais que qualquer Zona Sul”.

Notícias do Brasil – Milton Nascimento

Uma notícia está chegando lá do Maranhão
Não deu no rádio, no jornal ou na televisão
Veio no vento que soprava lá no litoral
De Fortaleza, de Recife e de Natal
A boa nova foi ouvida em Belém, Manaus,
João Pessoa, Teresina e Aracaju
E lá do norte foi descendo pro Brasil central
Chegou em Minas, já bateu bem lá no sul

Aqui vive um povo que merece mais respeito
Sabe, belo é o povo como é belo todo amor
Aqui vive um povo que é mar e que é rio
E seu destino é um dia se juntar
O canto mais belo será sempre mais sincero
Sabe, tudo quanto é belo será sempre de espantar
Aqui vive um povo que cultiva a qualidade
Ser mais sábio que quem o quer governar

A novidade é que o Brasil não é só litoral
É muito mais, é muito mais que qualquer zona sul
Tem gente boa espalhada por esse Brasil
Que vai fazer desse lugar um bom país
Uma notícia está chegando lá do interior
Não deu no rádio, no jornal ou na televisão
Ficar de frente para o mar, de costas pro Brasil
Não vai fazer desse lugar um bom país

Saudade desse Brasil.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s