A Lapa Fala Portunhol

Se você pensa que o portunhol é exclusivo das fronteiras do Brasil com seus vizinhos mais próximos, não se espante por saber que num pedaço do Rio de Janeiro, a Lapa, o Portunhol é quase língua franca.

No quadrilátero formado pelas ruas Joaquim Silva, Teotônio Regadas; a confluência da Avenida República do Paraguai com a Mem de Sá, que prossegue pela Rua da Lapa e a Travessa do Mosqueira há uma profusão de chilenos, argentinos, mexicanos, peruanos e bolivianos. Bem, estes dois últimos eu não posso garantir qual a procedência, pois todos parecem descendentes dos Incas, que como sabemos se espalhavam por quase toda costa da América do Sul banhada pelo Oceano Pacífico.

É muito interessante observar e ouvir como falam, quase chegando ao ponto de, assim como aquele personagem do Jô Soares, um general argentino que apoiou golpes de Estado e fugiu para o Brasil quando o Alfonsin começou a levá-los para os tribunais, que afirmava: “Yo soy bracilero… y minha mãe é baiana  vendedora de acarajé, vissi”? Estes irmãos latino-americanos falam desse jeito mesmo.

Um deles é um chileno que às vezes canta músicas em Portunhol aos brados na rua e é divertidíssimo. Quase todas as manhãs entra no botequim e pede… “Quiero um pão na tchapa torradchinho e una média”. Eu mesmo já comprei um CD onde ele gravou os fatos da queda do Allende. Sempre conversamos sobre as coisas da latino-américa e de vez em quando eu o comparo, de brincadeira é claro, ao cantor de boleros chileno Lucho Gatica, alcunhado de El Rey del Bolero, chamando-o de O Lucho Gatica da Lapa.

Outro chileno da Lapa é o Selaron, artista que constrói incessantemente uma escadaria formada por azulejos de todas as partes do mundo. Vários murais  e também paredes dos bares e restaurantes da Lapa têm obras suas. O detalhe interessante é que ele só usa as cores preta, branca e vermelha nestes quadros. e murais. A escadaria é famosa. Vira e mexe aparece uma equipe de cinema ou televisão para gravar filmes como o Incrível Hulk, séries de TV como CSI Miami, clip de cantor de Rap como o Snoopy Doggy Dog e também serve de cenário para novelas globais. Até comercial para TV polonesa já foi gravado na escadaria Selaron. Também chegam grupos de gringos rosados para ver a tal escadaria e a língua em que todos se comunicam é uma algaravia de Inglês, Português, Espanhol e Portunhol. Uma verdadeira escada de Babel.

Hoje pela manhã, numa padaria da Rua da Lapa, uma menina baixinha estava se despedindo dos balconistas. Um deles desejou boa viagem e até calculou o tempo que levaria o vôo de volta. Vamos ao diálogo:

– Deve levar umas três horas, né?
– Nada. Fica a lejos. Unas 14 horas”. (Disse um rapaz que acompanhava a baixinha).
– Ué? Mas não vai para a Argentina?
– Yo soy arrentino. Ela é mexicana…
– Sim, soy metchicana! Me vou para Métchico.

E todos se despediram usando aquele cumprimento informal em italiano (ciao), que também serve de despedida e aportuguesamos… TCHAU!

Leia também os artigos:

Lapa, um pedaço especial do Rio de Janeiro
Lapa, cidade da música
Selaron, uma escadaria de azulejos
Hulk in Rio

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s