Gazeta da Terrinha (4) – Economia [FOI DESCOBERTO O BRASIL !!!]

Maria do Tamanco Tavares

P… ! Esta nova terra promete! É o que eu sempre digo: temos que investir em novas formas de obtenção de recursos. Vocês devem estar lembrados que a economia mundial vem sofrendo abalos seguidos desde a invasão de Roma pelos Bárbaros. Não é de hoje que enfrentamos problemas de abastecimento.

O Mediterrâneo foi praticamente fechado pelos piratas sarracenos e Árabes que não permitiam que se fizesse comércio tranqüilamente com o Oriente e outras regiões conhecidas do mundo, a não ser os mercadores genoveses e venezianos, que conseguiram furar o bloqueio e transportar os guerreiros Cruzados para lutar na Terra Santa e, assim, aproveitam para também monopolizar as rotas comerciais com o Levante, nenhum outro povo ou país pôde chegar às fontes de riqueza. Mas que m… !

Por causa desta mania de não se fazer comércio pelos mares e outras regiões foi que se fortaleceu o sistema feudal, onde os donos de terras eram tão poderosos que desafiavam o próprio rei. Também pudera, a economia era baseada na posse de terras, mais conhecidas como feudos e não se preocupavam em estabelecer relações comerciais com ninguém que não fizesse parte de seu “mundinho”. Não sei o que seria da economia se os comerciantes das cidades, os burgueses, não se aliassem ao rei para combater essa corja de parasitas. Sim, foram eles mesmos, os burgueses, que deram um grande impulso ao comércio, ajudando o rei a unir mais suas terras e, desta forma, poder transitar livremente no reino sem ter que pagar pedágios astronômicos e se submeter a uma infinidade de sistemas de pesos e medidas. Ainda bem que a moeda voltou a circular, trazendo mais dinamismo à economia, permitindo que fossem feitos investimentos e surgimento das casas bancárias e letras de câmbio.

O gráfico acima representa a evolução comercial do mundo ocidental desde a queda do Império Romano. Como podemos observar, houve uma diminuição drástica do nível comercial, entre os séculos VI e XIII, sendo que logo após o sucesso das cruzadas e o desenvolvimento das cidades, a partir do século XIV, há uma nova onda de comércio mundial. Acredito até que as descobertas de novas terras no Atlântico venham a aumentar ainda mais o volume do comércio internacional.

É de se esperar que haja uma onda inflacionária, que segue ao grande volume de ouro e prata que os espanhóis (concorrência), jogarão no mercado. Para combater este problema contamos com o auxílio dos banqueiros de Flandres, já que os judeus foram expulsos de nossas terras cristãs e não poderemos mais contar com seus préstimos e empréstimos.

Pensando melhor, digo que será muito interessante investir na América e, em particular, no Brasil. Espero não estar errada, pois este será o país do futuro. Tem clima tropical, grandes extensões de terra, os traficantes de escravos podem ter ali uma inesgotável fonte de lucros. Este país será muito mais promissor que aquele do norte. Frio, cheio de peles-vermelhas, jogam futebol com uma bola oval, matam presidentes e falam inglês. É um péssimo investimento.

Vejam só a localização deste país: fica bem perto da África e podemos usá-lo como ponto de aguada para nossas frotas que se dirigem para o Oriente. Sugiro até que não só os negros sejam escravizados, como também os nativos que já podem trabalhar no desmatamento em busca do pau-brasil, madeira tintorial de tanto valor no mercado externo.

É uma pena que não exista ouro aparente, mas contamos com nossos desbravadores para encontrá-lo. Uma forma para melhor aproveitar o potencial desta terra é dividi-la em capitanias, sistema que foi coroado de sucesso nos Açores, e implantar o cultivo de cana-de-açúcar, que está com uma ótima cotação no mercado. Penso até que o sistema de capitanias seja uma empresa de economia mista, o Estado e o capital particular participando em co-gestão , sendo que os recursos para o investimento devem ser arcados pelo capital particular e os lucros ficam com o Estado, logicamente uma pequena parcela caberá aos donatários.

Mais uma vez poderemos contar com os financistas flamengos, pois os recursos para a implantação de engenhos são vultuosos. Em contrapartida, faremos um grande negócio se permitirmos que eles também façam a distribuição do açúcar pelo mercado. Como são ingênuos esses flamengos. O Comércio de escravos com a África será revitalizado e renderá grandes lucros, não só para nós como também para os ingleses, que acabarão levando uma parte da negrada para a América do Norte.

Anúncios

2 comentários sobre “Gazeta da Terrinha (4) – Economia [FOI DESCOBERTO O BRASIL !!!]

  1. Gabrielle,
    imagino que você não tenha percebido que se trata de um texto com humor. Caso você queira coisas importantes, segundo suas palavras, sobre o assunto, sugiro que você pesquise os arquivos da Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro e, também, os arquivos da Torre do Tombo, em Lisboa.

    Obrigado pela visita e um abraço.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s