Centenário de nascimento de Guimarães Rosa – Entrevista e Biografia

No próximo dia 27 de junho, Guimarães Rosa completaria 100 anos de nascimento.Várias instituições programam eventos. Também já começam a surgir ciclos de debates e entrevistas com especialistas em sua obra.

Biografia do escritor

Resumo de algumas suas obras

Abaixo está um excerto de uma entrevista de Suzi Frankl Sperber, para a Revista Problemas Brasileiros do Portal SESCSP, cujo título é “Quem Tem Medo de Guimarães Rosa?”

Problemas Brasileiros – É preciso que o leitor se prepare para ler e apreciar Guimarães Rosa?

Suzi Frankl Sperber – Sim, mas de um modo diferente do que geralmente se pensa: antes de mais nada, ele terá de se entregar à beleza do texto. Abandonar qualquer tentativa “intelectual” de compreensão ou preocupação inicial com neologismos, arcaísmos, ou ainda com os processos sintáticos pouco habituais do autor. Proceder à maneira de uma criança, digamos. Eu mesma fiz uma experiência com meus filhos ainda pequenos. Carlos tinha cinco anos e Lúcia três, quando li o conto “A Menina de Lá”, de Primeiras Estórias. Eles entenderam a narrativa à sua maneira, conseguiram recontar a história. Outra coisa: é preciso ler em voz alta textos como os de Rosa, para poder compreendê-los. Fala-se muito na oralidade aproveitada pelo autor, mas não se pratica a leitura em voz alta. Fiz também essa experiência. Eu havia convidado João das Neves, por intermédio de Luís Otávio Burnier, a encenar alguns contos de Primeiras Estórias com alunos de artes cênicas da Unicamp. O resultado foi ótimo, tanto o efeito da leitura em voz alta, como a encenação inesquecível de João das Neves.

Leia mais aqui

Technorati Tags: , , , , , , , ,

Anúncios

4 comentários sobre “Centenário de nascimento de Guimarães Rosa – Entrevista e Biografia

  1. Sabe o que lembrei agora? Do poema do Paulo Leminsk chamado “Rosa Rilke Raimundo Correia”:

    Uma pálpebra,
    Mais uma, mais outras,
    Enfim, dezenas
    De pálpebras sobre pálpebras
    Tentando fazer
    Das minhas trevas
    Alguma coisa a mais
    Que lágrimas

    Ele usa a linguagem do Guimarães Rosa, a temática do Rainer Maria Rilke e as pombas do Raimundo Correia.

    Curtir

  2. Preocupa-me sempre que vejo contarpor a forma “intelectualizada” a sentimentos e emoções, porque considero que estas duas formas de apreender o mundo e qualquer produção humana não são incompatíveis. Convêm lembrar que Nietzsche já propunha uma “Gaia ciência”, Vattimmo, “uma ciência frágil” e tantos outros intelectuais percebem a necessidade de associar intelectualidade e sensibilidade.é o que acredito e expresso em http://miguilimeoutrasestorias.blogspot.com

    Curtir

  3. gente eu queria saber onde é que acha a biografia, e as obras do aoutros ?!
    um beeiijo ;}

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s