Grandes Sambas-Enredo: Coletânea 1

Há certas coisas em nossas vidas que marcam para sempre. Uma delas, para quem gosta, é claro, é a música em si. Mas, no caso específico deste período do tríduo momesco, mais conhecido por Carnaval, certas músicas são realmente fundamentais. Por isso resolvi apresentar esta primeira coletânea de Grandes Sambas-Enredo.

Quero fazer apenas uma observação em relação a “Foi Um Rio Que Passou Em Minha Vida”, que apesar de não ter ido para a Avenida, foi colocada aqui por ser considerada um clássico dos clássicos. Nesta gravação vocês poderão sentir o poder que tem uma bateria. Eu próprio já vi muito gringo não saber por qual motivo seu corpo começava a balançar quando estava perto de uma bateria como esta.

A seguir a lista de sambas-Enredo desta primeira coletânea:

Portela – Foi um Rio Que Passou em Minha Vida (Esquenta da Portela na Sapucaí. Ao vivo)
União da Ilha – O Amanhã
União da Ilha – É Hoje
Unidos da Tijuca – Mitavaí Contra Macobeba Maldito
Salgueiro – Do Yorubá à luz, a aurora dos deuses
União da Ilha – Domingo
Em Cima da Hora – O Saber Poético da Literatura de Cordel
Em Cima da Hora – Os Sertões
Império Serrano – Aquarela Brasileira

Ouça a primeira coletânea de Grandes Sambas-Enredo, no Recanto das Palavras – Galeria.

Veja também outros posts da série Grandes Sambas-Enredo

Apresentação | Samba do Crioulo Doido | Os Sertões |

Exaltação a Tiradentes | Chica da Silva |


Technorati Tags: , , , , , , , , ,

Anúncios

5 comentários sobre “Grandes Sambas-Enredo: Coletânea 1

  1. Pingback: Jorge via Rec6
  2. Tenho procurado a letra de um samba enredo que falava em Nabucodonosor,acho que é dos anos 70.
    Será que vc pode me ajudar????????
    Abraço.

    Curtir

  3. Eu encontrei a mensagem abaixo numa lista de discussão sobre Samba. Entretanto, não acredito que seja o samba que você procura. Eu tenho lembrança, um tanto vaga, sobre este samba que fala do Nabucodonosor. A minha dúvida é se foi a Mangueira ou pelo Salgueiro que citaram-no. Vou pesquisar um pouco mais.

    NABUCODONOSOR

    Sergio Porto “Stanislaw Ponte Preta”

    Nunca mais quero sair fantasiado
    Nunca mais quero brincar no carnaval
    Nunca mais, ai, nunca mais serei vaiado
    naqueles bailes do Municipal

    Foi no ano passado, eu me fantasiei, imaginem vocês
    Fui pra lá carregado, TOOdo enfeitado, com mil paetês
    com miçangas e vidrilhos, apliques e lantejoulas
    Bordados eu tinha até mesmo nas minhas ceroulas

    Quantas noites tive que ficar acordado
    Quantas noites eu cheguei mesmo a passar mal
    Quantas noites eu caprichei nos meus babados
    pra quase ir em cana no final

    Começou o desfile, a fofoca comia em pleno salão
    Sonho de Messalina, não SAAbe de quem, levou um bofetão
    Esplendor Renascentista foi desclassificado
    aí deu um pulo pra cima e caiu desmaiado

    Foi então que desisti de desfilar
    Foi então que abandonei a passarela
    Foi então que começaram a me estranhar
    e o povo só gritava prende ela

    Terminou o desfile eu só não chorei porque não sou mulher
    e mesmo que fose eu NUUnca seria como uma qualquer
    Fui pra minha casa curtindo a minha dor
    rasgado e amassado de Nabucodonosor

    Curtir

  4. Jorge, valeu. Também tinha uma lembrança vaga deste samba, tenho a impressão que teria sido na voz do Quarteto em Cy.
    A anos procurava esta letra !
    Valeu !

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s