Grandes Sambas-Enredo: Chica (Xica) da Silva

Uma das principais funções iniciais das escolas de samba era preservar a forma cultural de raiz africana, que como todos sabemos, muito contribuiu para a formação do Brasil como Nação. Entretanto, nem mesmo os livros escolares retratavam personagens de nossa história de origem negra. Por este motivo, o G.R.E.S Acadêmicos do Salgueiro, através de um grupo de carnavalescos capitaneados por Fernando Pamplona, professor da Escola Nacional de Belas Artes e da UFRJ, começaram um trabalho de resgate destas origens.

Em fins da década de 1950 e início da década de 1960, os enredos do Salgueiro primavam por levar ao público estes personagens de nossa história, digamos esquecidos. Três enredos foram de vital importância não apenas para o Carnaval, como também para a nossa história, como Zumbi dos Palmares (Quilombo dos Palmares – 1960), Chica da Silva (Chica da Silva – 1963) e Chico Rei (Chico Rei – 1964).

Destes enredos, Chica da Silva, projeto de Arlindo Rodrigues, foi o que teve maior repercussão, dando um campeonato (1963) histórico para esta escola.

Sobre o samba
Ano: 1963
Enredo: Xica da Silva
Autor(es): Noel Rosa de Oliveira e Anescarzinho
Intérprete: Noel Rosa de Oliveira

Para baixar e ouvir o samba clique aqui

Apesar
De não possuir grande beleza
Xica da Silva
Surgiu no seio
Da mais alta nobreza.
O contratador
João Fernandes de Oliveira
A comprou
Para ser a sua companheira.
E a mulata que era escrava
Sentiu forte transformação,
Trocando o gemido da senzala
Pela fidalguia do salão.
Com a influência e o poder do seu amor,
Que superou
A barreira da cor,
Francisca da Silva
Do cativeiro zombou ôôôôô
ôôô, ôô, ôô.
No Arraial do Tijuco,
Lá no Estado de Minas,
Hoje lendária cidade,
Seu lindo nome é Diamantina,
Onde nasceu a Xica que manda,
Deslumbrando a sociedade,
Com o orgulho e o capricho da mulata,
Importante, majestosa e invejada.
Para que a vida lhe tornasse mais bela,
João Fernandes de Oliveira
Mandou construir
Um vasto lago e uma belíssima galera
E uma riquíssima liteira
Para conduzi-la
Quando ela ia assistir
À missa na capela.

História

Na região mineradora do atual estado de Minas Gerais, mais precisamente em Dimantina, que no século XVIII era conhecida como Arraial do Tijuco, surgiu uma das grandes histórias de amor que se tem notícia.

Uma escrava chamada Francisca da Silva de Oliveira, comprada por João Fernandes de Oliveira, um negociante (contratador) de jóias. À época diziam que sua fortuna era maior que a do Rei de Portugal. Outros estudos afirmam que Xica da Silva fora alforriada pelo Padre Rolim, a quem pertencia, a pedido do contratador ao cair de amores por ela, que era descrita como uma belíssima mulata. Para alguns a sua beleza enfeitiçou o contratador.

A respeito de Xica da Silva foi criado o mito de mulher extremamente autoritária (Chica que manda ou Chica Mandona), tanto que, segundo relatos da época, foi responsável pela mudança da torre da igreja cujo sino perturbava seu sono. A igreja de Santa Quitéria é a única igreja barroca do Brasil que tem a torre com o sino atrás da nave. Ao mesmo tempo, por ser de origem negra, a sociedade da cidade não lhe permitia assistir missas, o grande evento social do período, já que a consideravam não como a esposa de um homem de posses, mas como sua concubina. Falam também da construção de um palácio e, como não conhecia o mar, João Fernandes de Oliveira mandou construir um barco à vela para ela e criou um lago artificial, no qual eram dadas festas para a sociedade.

Era comum casamentos entre homens brancos e suas escravas. Portanto, o fato não foi isolado. A diferença está no fausto, segundo os cronistas da época, este enlace se deu. Tiveram 13 filhos.

Mesmo com todos os possíveis impedimentos, Xica da Silva fez parte de grupos sociais restritos apenas as mulheres brancas e seu corpo foi enterrado, quando de sua morte em 1796, na Igreja de São Francisco de Assis, exclusiva para brancos.

Curiosidades

– Sua história foi levada ao cinema pelo diretor Cacá Diegues, tendo Zezé Mota no papel de Xica da Silva, José Wilker e Walmor Chagas como o contratador João Fernandes de Oliveira.
– A música tema do filme, composta por Jorge Bem, ficou nas paradas de sucesso durante muito tempo e até hoje é lembrada.

– A extinta TV Manchete criou uma novela sobre a vida de Xica da Silva, tendo a atriz Taís Araújo representado o papel principal

Anúncios

Um comentário sobre “Grandes Sambas-Enredo: Chica (Xica) da Silva

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s