Falta que sentimos de quem desejamos

Mulher com cabelos encaracolados - Corbis

A relatividade espaço-tempo não precisava ser escrita numa equação por Einstein. Bastava observar os nossos corações para perceber que quando estamos com aquela pessoa, aquela que imaginamos ser a que nos supre a necessidade do sentir, o tempo passa mais rápido. E quando ela está longe, cada segundo é uma eternidade desesperante.

Todos nós sem exceção passamos por momentos de total desnorteamento emocional pelo menos uma vez na vida. A isto podendo resumir naquilo que Platão, n´O Banquete, na voz de Sócrates, relatou como sendo o agalma. Sim, é algo extremamente complicado de se entender quando acreditamos que outra pessoa possa vir a nos suprir a necessidade do que nos falta. Tudo o que nos falta é tudo! Nunca saberemos o que realmente desejamos ou se estamos completos e plenos. Falta-nos o termômetro para poder auferir a certeza de que, agora, tudo está do jeito que sempre se quis. Não é assim que as coisas funcionam.

Para ela são combinados todos os sinais gráficos de nosso alfabeto, sempre com palavras doces, ternas, apaixonadas; algumas, por vezes, confessáveis, um tanto revoltadas devido à sua indiferença. As emoções ficam à flor da pele. Praticamente se pede desculpas para a calçada quando se dá uma topada. Quando chegamos neste estágio de pedir desculpas para uma calçada é porque estamos realmente sem qualquer noção da realidade e apenas enxergamos, tal como se usássemos antolhos, uma determinada pessoa neste oceano de seis bilhões de viventes.

Como e porque isto se dá ninguém conseguiu explicar e certamente jamais conseguirá. Pode ser um processo físico-químico em nossos corpos e mentes. Pode ser uma demência passageira ou uma total e completa asneira. Mesmo assim nada tem sentido sem que possamos compartilhar, mesmo que seja um medíocre acordar, com esta pessoa. Buscamos fatos, motivos, luzes, sombras, curvas, retas e sei lá mais o quê para que tenhamos algo a remeter e conectar com a mente e o pensamento daquela pessoa que tem o que supostamente imaginamos que nos falta.

Buscamos, e este parece ser o sentido da vida, doar e desejar que nos doem da mesma forma os mais profundos sentimentos de amor. Conceito estranho esse de amor. Para Camões é o “fogo que arde sem se ver”. Não há como discordar. Não deveria ser, mas sempre é e será, aquela combinação de amor e dor, como na música. Ou para Lacan, “O amor é dar o que não se tem a alguém que não o quer”.

Somos capazes de dirigir um automóvel por 600km apenas para sentir o cheiro e pisar na terra aonde esta pessoa caminha, para respirar o mesmo ar que ela respira, para beber a mesma água que ela bebe. Viajamos na mente à velocidade da luz querendo que ela apareça à nossa frente. Somos como crianças que acreditam nas promessas de adultos quando se trata de desejar alguém.

Por isso que, mesmo que a letra não tenha nada a ver com o teor do que escrevi, a melodia de Clocks, do Coldplay, pode marcar um desses momentos de total desnorteamento espaço-temporal. A melodia é um tanto melancólica, mas não importa. O tom é este.



Anúncios

2 comentários sobre “Falta que sentimos de quem desejamos

  1. O amor é um sentimento de difícil compreensão, pode nos deixar como você mesmo disse desnorteados. Acho que por esse motivo é tão importante que seja recíproco e só então será verdadeiro. Lindo texto!
    Obrigada pela visita 🙂
    Aliás, adoro essa música.

    Curtir

  2. Parece que tem alguém desaprendendo. Esse texto é o que de mais fortuito e agradável se pode ler, ele fala do amor sem se preocupar em amar, mas ao final encontra o que procurava, o desejar, tão sómente explicável quando vc tem em suas mãos o que vc não pode dominar, e a isso chamamos de amor. A melancolia dessa música tem tudo a ver, é assim mesmo que nos sentimos diante da correnteza a nos levar. Beijos

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s