Grandes Sambas-Enredo: Samba do Crioulo Doido

O primeiro samba-enredo de todos os tempos, o Samba do Crioulo Doido, não é propriamente um samba-enredo e não foi elaborado para desfilar na avenida, mas sim, é uma paródia aos sambas de então. Como eu escrevi em outros dois posts como O Homem do Febeapá e Querelas do Brasil, havia uma ordem governamental que ditava as regras para a feitura dos sambas. A partir de meados da década de1980 naturalmente os enredos foram se tornando mais fantasiosos e imaginativos por conta das viagens mentais dos carnavalescos.

A história deste samba está relacionada não apenas ao excelente senso crítico do compositor, que também atendia pelo pseudônimo de Stanislaw Ponte Preta – indico a leitura de todos os seus livros -,e este senso crítico também está relacionado ao período em que vivíamos a ditadura militar que se instaurou por aqui em 1964.

As frases e idéias do Sergio Porto foram tão marcantes que ficaram no inconsciente coletivo dos brasileiros. Um sinônimo para confusão passou a ser nada mais que um samba do crioulo doido, nome dado a um samba por ele composto, em crítica irônica a um antigo decreto governamental, dos tempos de outra ditadura, a de Getúlio Vargas, o qual obrigava os compositores a criarem sambas sempre de cunho histórico e o motivo sendo a história do Brasil. Segundo consta, o crioulo compositor ficou tão embaralhado com uma tal de atual conjuntura que misturou tudo na letra da música.

A gravura que ilustra o artigo é de Heitor dos Prazeres, sambista e artista plástico, que foi um dos fundadores da Vai Como Pode, que depois veio a se chamar G.R.E.S Portela.

Abaixo estão a letra e a música:

SAMBA DO CRIOULO DOIDO
Composição: Stanislaw Ponte Preta (Sérgio Porto)
Aqui você baixa a música

Foi em Diamantina
Onde nasceu JK
Que a princesa Leopoldina
Arresolveu se casá
Mas Chica da Silva
Tinha outros pretendentes
E obrigou a princesa
A se casar com tiradentes
Lá iá lá iá lá ia
O bode que deu vou te contar
Lá iá lá iá lá iá
O bode que deu vou te contar
Joaquim José
Que também é
Da Silva Xavier
Queria ser dono do mundo
E se elegeu Pedro II
Das estradas de Minas
Seguiu pra São Paulo
E falou com Anchieta
O vigário dos índios
Aliou-se a Dom Pedro
E acabou com a falseta
Da união deles dois
Ficou resolvida a questão
E foi proclamada a escravidão
E foi proclamada a escravidão
Assim se conta essa história
Que é dos dois a maior glória
Da. Leopoldina virou trem
E D. Pedro é uma estação também
O, ô , ô, ô, ô, ô
O trem tá atrasado ou já passou

Anúncios

6 comentários sobre “Grandes Sambas-Enredo: Samba do Crioulo Doido

  1. Imagine se esse foi o primeiro samba enredo! Nem samba enredo foi. Trata-se apenas de uma paródia aos sambas enredo então existentes. Aquarela Brasileira ou O Mundo Encantado de Monteiro Lobato são exemplos de sambas-enredo até hoje famosos anteriores ao Samba do Crioulo Doido.

    Curtir

  2. Prezada Silvia,
    Imagino que você não tenha lido o artigo na íntegra e nem os outros artigos rlacionados, nos quais eu deixo claro que o critério para a escolha é subjetivo e, portanto, este foi primeiro samba-enredo – sim, é um samba-enredo -, que foi escolhido por mim, justamente para iniciar a série denominada “Grandes sambas-enredo de todos os tempos”.
    Ao mesmo tempo, como o critério é subjetivo, ele pode dar margem a opiniões como a sua, que tem mérito e validade, mas que não devemos deixar que critérios emocionais influenciem nossas palavras.
    Obrigado pela visita.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s