A TEORIA GERAL DO AMOR

O que faz uma jovem e bela editora largar um jantar de negócios por volta da meia-noite e sair pelas ruas de Nova York, sendo açoitada por ventos gélidos e cortantes numa temperatura em torno dos 6ºC caminhando meio curvada como se estivesse se arrastando para vencer as forças da Natureza, agasalhadas por um casaco de couro, indo em direção a um bar onde um homem, com intenções nada claras talvez apareça? Esta é uma programação neuronial, a qual leva seu corpo, coração e mente em desafio a qualquer comportamento lógico determinado. Isto recebe o nome de “determinação eletroquímica”. Porém, é mais conhecida por amor. Por que os neurônios, aqueles que nos conferem inteligência, nos fazem tomar atitudes tolas? Porque desde os tempos imemoriais, estão além de nosso controle.

Três séculos atrás, o físico francês Blaise Pascal, disse que “a paixão tem razões que a própria razão desconhece”. E por 300 anos, todos os cientistas vêm tentando compreender, como um senso comum, o desejo sexual, o amor e seus impulsos.

Os neurocientistas confirmam o que as mulheres sabem há séculos: os homens têm mentes reptílicas, ou seja, desprezíveis. Antes que alguém se sinta insultado: como as mulheres. O pensamento reptílico é aquele que faz seu coração bater e seu sangue fluir pelo corpo, é aquela parte da mente que ainda fica ativa, mesmo que alguém tenha deficiências mentais. Talvez, se pensarmos muito sobre isso, dificilmente alguma mulher aceitará um convite para jantar.

Mas ainda há a mente límbica, a qual os lagartos não possuem, mas que os mamíferos compartilham, e que se situa entre o terreno das carícias e a tal mente reptílica, chegando ao neocortex que é o repositório das emoções, instintos e hormônios. E por conta de todas estas somas de mentes no processo da Evolução que hoje, se diz “Eu te amo”. Sabendo de antemão que há segundas e terceiras intensões nesta frase.

E como a sabedoria popular jamais falhou, podemos dizer que o amor é lindo. O que estraga é a falsidade.

Curta o vídeo com As Time Goes By.

Anúncios

2 comentários sobre “A TEORIA GERAL DO AMOR

  1. O SER HUMANO É INDEFINÍVEL E INCONTROLÁVEL”.

    Lygia Fagundes Telles escreveu isso e eu vou concordar para entender porque ainda dizem tanto:”eu te amo”…

    Como sempre, foi bom olhar seu cantinho, ou melhor, seu Recanto!

    Curtir

  2. Amigos tambem dizem Eu Te Amo…

    Indispensavel qualquer comentario…

    Texto,video,musica…
    vc sempre pensa nos amigos com carinho….

    O Recanto é sempre um presente para nós…

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s