O Quinto Sol

Os povos pré-colombianos tinham uma estrutura de vida bastante diversa do mundo europeu. A partir dos primeiros contatos que se dão no final do século XV, e de forma mais intensa, a partir do século XVI, percebe-se que toda a organização destas sociedades será destruída pelo conquistador.

Entre estes povos, principalmente os astecas, a contagem do tempo era feita de forma cíclica, onde a cada período de 52 anos, dava-se uma nova era, um novo recomeço do mundo, que tinha seu início e fim marcados por uma catástrofe, já que foram tentativas infrutíferas de criação de um mundo ideal. O Império Asteca estava no decurso do Quinto Sol, o seu apogeu, já que se consideravam os eleitos dos deuses, para assim dominar os seus vizinhos. O estudo destes calendários mostrou que as profecias relativas ao Quinto Sol marcariam o possível fim desta civilização, que pasmou Cortez quando este entrou em Tenochtitlán, capital do Império Asteca. Ele relatou seu fascínio ao ver ruas urbanizadas, coleta de lixo, museus e zoológicos (o que não havia na Europa de então).

Dentre os vários presságios, treze para ser mais preciso, um deles está relacionado a Quetzalcoatl, a serpente emplumada, deus que tinha sua representação humana com as características bastante diferentes do povo asteca. A pele clara, barba (símbolo de sabedoria) e a suas vestimentas eram próximas das européias. Este deus que foi enganado por outros deuses, partiu pelo mar deixando a mensagem que um dia voltaria para reaver seu lugar. Quando se dá o desembarque de Hernán Cortez, que coincide justamente com o presságio, este foi associado ao deus que prometera voltar. Hoje se discute o quanto de apropriação desta idéia foi assimilada pelo conquistador.

E nas palavras de Neruda, “la espada, la cruz y el hambre iban diezmando la familla salvaje…” (Pablo Neruda), foram os meios de conquista da América pelos europeus.

A seguir o vídeo e a letra de Cortez The Killer, de Neil Young.

He came dancing across the water
With his galleons and guns
Looking for the new world
In that palace in the sun.

On the shore lay Montezuma
With his coca leaves and pearls
In his halls he often wondered
With the secrets of the worlds.

And his subjects gathered ‘round him
Like the leaves around a tree
In their clothes of many colors
For the angry gods to see.

And the women all were beautiful
And the men stood straight and strong
They offered life in sacrifice
So that others could go on.

Hate was just a legend
And war was never known
The people worked together
And they lifted many stones.

They carried them to the flatlands
And they died along the way
But they built up with their bare hands
What we still can’t do today.

And I know she’s living there
And she loves me to this day
I still can’t remember when
Or how I lost my way.

He came dancing across the water
Cortez, Cortez
What a killer.

Anúncios

2 comentários sobre “O Quinto Sol

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s