Músicas e Lembranças

Não sei se é possível dizer que determinadas canções podem nos lembrar situações e pessoas. Imagino que sim. Caso contrário não haveria tantas canções e inúmeras belas mensagens em cada canção. Fiz-me incorrer numa dúvida para explicar o seguinte: Sim, a música tem esta capacidade de nos transportar no tempo – e marcar um tempo – e nos fazer lembrar de alguém ou algum fato. Porém, o que não sabemos é como isto se dá. Pode ser uma música qualquer, com um ritmo qualquer, mas com toda certeza, ao menos uma canção ou composição irá nos marcar o íntimo da alma.Lembrei agora de uma cena do filme “Era do Rádio” do Woody Allen. Havia uma personagem interpretada por Diane West, excelente atriz, que seria uma daquelas tias solteironas, mas que nunca deixavam escapar a oportunidade de conseguir um namorado para, quem sabe, um dia juntar os trapinhos. A personagem era de um extremo bom-humor e sempre tirava uma lição de forma jocosa dos infortúnios amorosos onde se metia. Voltando à cena, lá estava ela na cozinha escura junto com um novo namorado conversando. O rapaz era até bem apessoado e ela parecia muito interessada nele. No rádio que ao fundo tocava músicas e dava notícias, de repente começa a tocar I Getting Sentimental Over You, numa gravação de Tommy Dorsey. Não sou nenhum crítico de jazz ou de música. Não tenho e nem tive jamais essa pretensão; porém, foi essa gravação que meu pai nos apresentou quando crianças lá em casa e sempre a considerei definitiva.

Pois bem, a conversa entre os dois namorados acontecia de forma bem suave até que toca a referida música. O rapaz começa a ficar tenso, abaixa a cabeça, o silêncio dele se faz presente e a música prossegue. Não sabendo o que fazer, a personagem de Diane West pergunta se estava acontecendo alguma coisa. O rapaz titubeia, ensaia uma frase, inicia um choro contido e diz a seguinte frase: “Essa era a nossa música. Minha e do Leonard”. Isto serve para mostrar como a música marca os momentos, até mesmo de um rapaz apaixonado por outro que se foi ou morreu e ele tentava esquecê-lo saindo com uma mulher. A cena é hilariante pela sutileza como se desenvolve e atinge o clímax inesperado.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s